Resgate de reféns mantidos pelo Hamas tem instruções em Levítico, diz rabino

  • 29/01/2024
Resgate de reféns mantidos pelo Hamas tem instruções em Levítico, diz rabino
Resgate de reféns mantidos pelo Hamas tem instruções em Levítico, diz rabino (Foto: Reprodução)

A libertação de cativos é considerada "uma obrigação religiosa de máxima prioridade", afirmou Jonathan Greenberg. O rabino reformista, que vive em Chicago nos EUA, mencionou que as lições do Livro de Levítico podem ser aplicadas às situações atuais.

“Ao longo da história judaica, as nossas comunidades – quase sempre pequenas em número e sem capacidade de defesa – foram alvo de sequestro e resgate por parte das populações vizinhas”, disse Greenberg.

O versículo do livro da Torá (Antigo Testamento) diz: “Não sairás por aí espalhando calúnias entre o teu povo; nem ficarás de braços cruzados quando a vida do teu próximo estiver em jogo” (Levítico 19:16).

"Levítico" significa "dos levitas", uma das tribos de Israel, conforme indicado pelo site Bible Study Tools.

Leis e regulamentos

Enquanto o Livro do Êxodo fornece instruções para a construção do tabernáculo, "Levítico estabelece as leis e regulamentos para o culto naquele local, abrangendo instruções sobre a limpeza cerimonial, as leis morais, os dias santos, o ano sabático e o ano do Jubileu", diz o site.

O exemplo mais marcante disso, segundo Greenberg, foi o sequestro do Rabino Meir de Rothenberg, que foi capturado na Alsácia no final do século 13.

O rabino Meir “recusou-se a permitir que a comunidade judaica pagasse um preço exorbitante pela sua liberdade”, disse Greenberg.

"Quatorze anos depois, o corpo do Rabino Meir foi devolvido à comunidade judaica para ser enterrado após o pagamento de um resgate. Valorizamos a vida e o recipiente em que ela reside."

‘Obrigação religiosa’

"Pidyon shvuyim", ou a redenção de cativos, é "uma obrigação religiosa de máxima prioridade", afirmou Greenberg.

A orientação de não "ficar de braços cruzados" quando a vida está em jogo é evidente no Levítico, destacou ele, e ainda mais no Talmud, que é a principal fonte da lei judaica.

O Talmud “diz que o cativeiro é pior que a morte e qualquer um que atrase o pagamento do resgate pelos cativos é como um assassino”.

“Hoje, restam em Gaza cerca de 130 reféns israelenses e de dupla nacionalidade, incluindo seis americanos. Acredita-se que dezenas deles estejam mortos”, disse Greenberg.

Com a diretriz clara do Levítico e do Talmud para resgatar cativos, alguém poderia questionar "por que Israel não abriu suas prisões e contas bancárias para facilitar a negociação", disse ele.

O Talmud “diz que o cativeiro é pior que a morte e qualquer um que atrase o pagamento do resgate pelos cativos é como um assassino”.

Lições do passado

As dolorosas lições do passado, incluindo a troca de prisioneiros em 2011 para a libertação do soldado israelense Gilad Shalit e a morte do Rabino Meir, continuam sendo válidas hoje.

"[Shalit] havia sido mantido em Gaza por mais de cinco anos, e o público israelense estava, em grande parte, a favor do acordo, mesmo que relutantemente", disse Greenberg. "Entre os libertados estava Yahya Sinwar, o mentor do Hamas por trás dos massacres de 7 de outubro.”

No final dos anos 1200, “o Rabino Meir recusou-se a permitir que a comunidade pagasse o preço pela sua libertação porque sabia que isso incentivaria a apreensão de outros”, disse Greenberg.

"Esta exceção está codificada na lei judaica."

O desespero para resgatar os sequestrados deve ser ponderado considerando "a probabilidade de que nosso pagamento resulte em futuros prejuízos para nós", afirmou ele.

"E o Estado Judeu existe, em grande parte, para que os judeus nunca mais fiquem tão impotentes que os nossos entes queridos possam ser roubados de nós, sem consequências, por vizinhos hostis, enquanto nós e os nossos correligionários somos deixados para reunir juntos o suficiente de um resgate para libertá-los", disse ele também.

Com as lições da história em mente, "o mundo não deveria duvidar do comprometimento dos israelenses — na verdade, de todos os judeus — em ver nossos reféns retornarem para nós das garras do Hamas", afirmou Greenberg.

"Mas não a qualquer preço."

FONTE: http://guiame.com.br/gospel/israel/resgate-de-refens-mantidos-pelo-hamas-tem-instrucoes-em-levitico-diz-rabino.html


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

No momento todos os nossos apresentadores estão offline, tente novamente mais tarde, obrigado!

Top 5

top1
1. Raridade

Anderson Freire

top2
2. Advogado Fiel

Bruna Karla

top3
3. Casa do pai

Aline Barros

top4
4. Acalma o meu coração

Anderson Freire

top5
5. Ressuscita-me

Aline Barros

Anunciantes